U..."/>

U..." />

U...">

Olhar Digital

Olhar Digital

Publicado em 09/10/2019 às 08:43:00
China cria porcos gigantes de at? 500 quilos

China cria porcos gigantes de at? 500 quilos


Uma peste suína africana começou a dizimar alguns rebanhos de porcos na China. Devido a isso, alguns pecuaristas estão modificando o peso dos animais. É o que ocorre na fazenda de Pang Cong, que está criando porcos de até 500 quilos, tão pesados quanto ursos polares. O fazendeiro espera vender algumas de suas crias por mais de 10 mil yuanes (aproximadamente US$ 1.399), três vezes mais que a renda mensal de Nanning, capital da província de Guangxi, onde a fazenda está localizada.

Como era de se esperar, a doença trouxe alterações significativas no mercado suíno. Os preços no atacado da carne na China subiram mais de 70% este ano, enquanto os estoques de suínos caíram 39% em agosto em relação ao ano anterior. O governo chinês solicitou aos trabalhadores um pedido de aumento na produção para tentar controlar a inflação

A ideia do "quanto maior melhor" se espalhou pelo país asiático. Os altos preços da carne suína na província de Jilin, por exemplo, estão levando os pecuaristas a criar porcos para atingir um peso médio de 175 a 200 quilos, acima do peso normal de 125 quilos. Zhao Hailin, produtor de suínos da região, afirmou que eles querem que o tamanho dos animais seja "o maior possível". 

Esta prática não se limita somente às pequenas fazendas. Os principais produtores da proteína na China, como o Wens Foodstuffs Group, a Cofco Meat Holdings Ltd. e o Beijing Dabeinong Technology Group Co. disseram que também estão tentanto aumentar o peso médio de seus porcos. O analista sênior da consultoria Bric Agriculture Group, Lin Guofa, disse que as grandes fazendas pretendem aumentar o peso dos animais em pelo menos 14%. 

O peso médio dos porcos no abate em algumas fazendas de grande porte chegou a 140 quilos. Anteriormente, a média era de 110 quilos. Lin afirmou que essa mudança pode resultar em um aumento de 30% nos lucros.

O vice-primeiro-ministro chinês Hu Chunhua alertou a população sobre a situação do suprimento, que será "extremamente grave" até o primeiro semestre de 2020. Segundo ele, a China vai enfrentar uma escassez de carne suína de 10 milhões de toneladas este ano, mais do que o disponível no comércio global, o que significa que a produção nacional vai precisar aumentar. 

Após paralisação em consequência do surto, Hu solicitou os governos locais a retomarem a produção de suínos o mais rápido possível, para que os números possam ficar próximos aos níveis normais no ano que vem. Com isso, os preços dos leitões e porcas reprodutoras subiram, tornando mais caro para as fazendas reconstruírem seus Ler notícia


Compartilhe

Whatsapp

Comentários