Agência Brasil

Agência Brasil

Publicado em 09/10/2019 às 18:09:00

PSL deixou de ser transparente, diz advogada de Bolsonaro

A advogada eleitoral Karina Kufa, que representa o presidente Jair Bolsonaro, afirmou?hoje?(9) que h? desgaste na rela??o do presidente com os dirigentes nacionais do?Partido Social Liberal (PSL) e sinalizou uma poss?vel desfilia??o de Bolsonaro da sigla.??

"S?o diversos desgastes. O presidente Jair Bolsonaro sempre levantou a bandeira da ?tica, da transpar?ncia e exigia isso sempre dos dirigentes do partido, mas foi?muito dif?cil entrar em um acordo quando um partido n?o est? disposto a abrir simplesmente uma vota??o democr?tica, seja para altera??o do estatuto, seja para elei??o?de dirigentes. Ent?o, ficou insustent?vel em raz?o desses motivos internos, que acontecem em alguns partidos, mas que n?o d? para o presidente levar um encargo t?o?grande em um partido que acaba n?o permitindo que haja essa pluralidade", afirmou a jornalistas, no Pal?cio do Planalto, ap?s participar de uma reuni?o com o?presidente e um grupo de parlamentares que tamb?m manifestou insatisfa??o com o PSL.

Ontem?(8), o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer, em conversa com um apoiador, na entrada do Pal?cio do Alvorada, para ele "esquecer o PSL". Bolsonaro se filiou ao PSL em mar?o do ano passado para disputar as?elei??es presidenciais.?

Para a advogada Karina Kufa, a sigla deixou de ser transparente. "O PSL deixou de ser pelo menos um partido transparente. A quest?o da ?tica a gente vai ver nos?pr?ximos cap?tulos", afirmou. Ela estava acompanhada do advogado Admar Gonzaga, ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que tamb?m tem orientado Bolsonaro em?quest?es eleitorais. Segundo Gonzaga, o presidente n?o est? confort?vel no partido.?

"A ?nica coisa que ele?tem em mente ? a transpar?ncia do ambiente onde ele est? convivendo. Como isso n?o foi permitido no ambiente em que ele se encontra, ele, como?tem a bandeira da nova pol?tica, da transpar?ncia com o dinheiro p?blico, ele n?o est? confort?vel no ambiente onde ele se encontra", disse o ex-ministro do TSE.

Questionado pelos jornalistas sobre uma eventual sa?da de deputados federais do PSL, que podem acompanhar o presidente, Gonzaga disse que a jurisprud?ncia permite a desfilia??o sem perda do mandato?desde que comprovada uma "justa causa".?

"Com justa causa, segundo a jurisprud?ncia do Tribunal Superior Eleitoral, ? poss?vel a sa?da do partido sem perda do mandato, essa ? a regra da fidelidade?partid?ria", afirmou. Ele n?o quis revelar se a suspeita de fraudes em candidaturas do partido?pode?ser usada como argumento para a sa?da de parlamentares, mas?pontuou que a falta de transpar?ncia nas contas da legenda?pode configurar uma justa causa para desfilia??o sem perda de mandato.

"Sobretudo, a justa causa voc? tem quando n?o tem transpar?ncia com os recursos do fundo partid?rio, que ? recurso p?blico, que ? entregue ao partido, em face dos?votos dedicados aos parlamentares pelos eleitores do Brasil". Ainda segundo Gonzaga, a maior parte dos atuais 53 deputados federais da sigla estaria disposta a deixar?o partido caso o presidente da Rep?blica tome a mesma decis?o.?

Ap?s?ter?eleito a?segunda?maior bancada de deputados federais, na elei??o de 2018, e obter o maior n?mero de votos entre todos os eleitores do pa?s, o PSL passou a?ter?direito ? maior fatia de recursos do Fundo Eleitoral, estimada em cerca?de R$ 400 milh?es para o pr?ximo pleito, no ano que vem, que vai eleger prefeitos e vereadores.

...

Ler notícia

Compartilhe

Whatsapp

Comentários